Você me intriga, chama a minha atenção e me faz sentir vontade de escrever sobre você. E bom, isso não é nada comum. Seu Jeito singular me atrai pra você.

Escrevi sobre poucas pessoas na minha vida, e elas foram milhares de vezes mais relevantes que você. Não porque você é irrelevante, mas é que não somo nem mesmo próximos. Há um imã em ti, que mesmo sem ter contato, me faz nunca deixar de te perceber.

Tenho lido seus textos e é como se eu tivesse lendo você, em cada linha, cada parágrafo. Acontece a mesma coisa quando vejo você falar, escrever algo em redes sociais. Você expressa sua singularidade em cada uma delas, mas de forma diferente.  É como se a complexidade estivesse atacando e mostrando algumas das milhares de faces que você tem e escondendo uma angustia no núcleo.

A gente não tem nada a ver,  e em um mundo como o nosso não faz nem sentido que sejamos próximos. Mas mesmo assim, aqui estou te acompanhando, na torcida, para que você consiga mostrar pra mais pessoas essa singularidade que me impressiona. E bom, você não tem ideia mas estou escrevendo sobre você!